Programa

Programa
Dia Mundial dos Animais. Link aqui

Pura emoção

Pura emoção
Cãozinho acompanha seu dono até o final. Link aqui

Haja fidelidade!

Haja fidelidade!
Cão viajou 800 km para ver o seu dono. Link aqui

Ouça a RDA, você vai amar!

Ouça a RDA, você vai amar!
Mata Ciliar acolhe filhotes vítimas de maus tratos. Link para o site oficial da RDA

CONHEÇA A RAPOSA VOADORA, UM BICHO QUE VIVE DE CABEÇA PARA BAIXO

29/08/09

Raposa voadora, um animal simpático, extremamente inteligente. Vê o mundo quase sempre ao contrário, pois vive de cabeça para baixo. É o único mamífero que consegue realizar um vôo sustentado. A mãe é muito apegada ao filhote. Embora não sendo recomendado o contato com os humanos, sempre que isto acontece à raposa voadora mostra-se dócil e mansa como um animal doméstico. Infelizmente encontra-se na lista dos animais ameaçados de extinção. Tudo isto porque, seu maior predador que é o homem, invadiu seu território com plantações de frutas, justamente o alimento preferido das raposas voadoras. Com isto, o conflito é inevitável e o perdedor é sempre o animal.

Com cara de raposa e um corpo um pouco parecido com o de um morcego, é mais ou menos do tamanho de um gato. É encontrada em ambientes tropicais e subtropicais do hemisfério sul, com maior incidência na costa australiana. É derivado em quatro espécies; vermelhas, pretas, cinzentas e as pequenas. São responsáveis diretamente pela manutenção dos ecossistemas nativos das florestas tropicais onde vivem, pois como se alimentam de frutas, contribuem para a dispersão de sementes e à polinização em grandes áreas.
Com a invasão de seu território pelo homem, esses animais correm risco de extinção. Em geral enroscam-se em fios elétricos ou são abatidas a tiros por fazendeiros. No estado de New South Wales, Austrália, mesmo com a ameaça de extinção, o governo permite a matança desses animais com o pretexto da proteção das plantações. Sendo está uma prática já abolida nos outros estados.

Assim, a população da raposa voadora diminuiu em 35% na última década. Para esses fazendeiros e para o governo parece que o mais importante não é a preservação da floresta, um componente extremamente importante contra a mudança climática, mas sim o lucro imediato com suas plantações de frutas. Em alguns estados, outras medidas tem sido tomadas, como a cobertura das árvores frutíferas com redes e outros meios menos agressivos para esses animais.
Os filhotes da raposa voadora são muito dependentes da mãe e só podem alimentar-se de forma independente depois de 12 semanas. Muitas mães voam para alimentar-se nas árvores frutíferas das fazendas onde são alvejadas por tiros. Com a morte da mãe, o filhote morre de fome e de sede ou cai da árvore e é vítima de outros predadores naturais. É uma situação bastante triste totalmente causada pelo homem. Antes da presença deste em seu território, esses animais viviam em paz contribuindo para o crescimento das florestas tropicais.
Há na Austrália algumas organizações dedicadas às raposas voadoras. Uma delas é a The Ku-ring-gai Bat Conservation Society, que recolhe os filhotes órfãos e os cuida e alimenta até que possam ser devolvidos à natureza. Alguns e inclusive até adultos, feridos pelos fazendeiros não podem mais regressar à natureza e ficam nos criadouros da referida organização.

Dados técnicos

Descrição: A raposa voadora “Grey-headed” tem o corpo marrom escuro e a cabeça cinzenta e um colar avermelhado em volta do pescoço. Pele é grossa no pé e no tornozelo para servir de sustentação nos galhos das árvores. Vivem em grandes grupos nas copas das árvores. A espécie maior chega a 25 cm.

Habitat: florestas ou nos manguezais. Até 150 km da costa.

Alimento: Come a fruta e a flor das árvores nativas, e o néctar das árvores do eucalipto. Nas cidades comerá a fruta das plantas de jardim tais como Pawpaws.

Reprodução: A estação de acoplamento é março ou abril, e o único filhote nasce em outubro. O bebê não tem pêlos quando nasce e é carregado pela mãe por 4 ou 5 semanas até que o pêlo cresça. Os jovens podem voar em 8 ou 10 semanas de idade e alimentar-se independente ao redor de 12 semanas.
Maior incidência: Austrália oriental da costa central de Queensland a Victoria.
Contato com humanos: Embora não seja um animal agressivo, não é recomendado às pessoas que não sejam tratadores vacinados contra raiva, manusear esses animais. Uma pequena parcela desses animais pode transmitir raiva aos humanos. (Fontes: The Ku - ring-gai Bat Conservation Society- Agência ANDA) Leonardo Bezerra


0 comentários:

Nossos objetivos

Seja bem vindo! (a) Faça parte do Jornal Defesa dos Animais

Ajude-nos a melhorar ainda mais preenchendo este formulário

Entrevistas

Os animais são inocentes

Frases do dia

Conheça nossa página de vídeos

Resumo da Declaração Universal dos Direitos dos Animais

A Declaração Universal dos Direitos dos Animais da ONU

01 - Todos os animais têm o mesmo direito à vida.

02 - Todos os animais têm direito ao respeito e à proteção do homem.

03 - Nenhum animal deve ser maltratado.

04 - Todos os animais selvagens têm o direito de viver livres no seu habitat.

05 - O animal que o homem escolher para companheiro não deve ser nunca ser abandonado.

06 - Nenhum animal deve ser usado em experiências que lhe causem dor.

07 - Todo ato que põe em risco a vida de um animal é um crime contra a vida.

08 - A poluição e a destruição do meio ambiente são considerados crimes contra o animais.

09 - Os diretos dos animais devem ser defendidos por lei.

10 - O homem deve ser educado desde a infância para observar, respeitar e compreender

Material Editado

A maioria do conteúdo dos artigos são de nossa autoria baseados em fontes, entrevistas ou contatos sempre mencionados no final das matérias.

Os materiais de terceiros aqui editados são somente daquelas fontes que autorizam e seguindo o que as mesmas determinam.

Imagens usadas são de bancos de imagens livres ou de fontes que autorizam. Materiais de nossa autoria e de nossos colaboradores podem ser usados livremente por meios em defesa dos animais ou noticiosos sempre mencionando a fonte e autor.

Esta obra está sob uma licença Commons

Creative Commons License
Jornal Defesa dos Animais by Leonardo Bezerra is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at jornalanimais.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://jornalanimais.blogspot.com.