DEFESA DOS ANIMAIS

DEFESA DOS ANIMAIS
As melhores reportagens sobre defesa dos animais

FELINOS

FELINOS
Conheça as melhores histórias sobre os felinos

ENTREVISTAS

ENTREVISTAS
Conheça o trabalho de pessoas que amam os animais

CÃES

CÃES
Incríveis histórias com os cães

Nova Zelândia quer acabar com os gatos

28/01/2013

Foto: © Flickr.com/fwooper/сс-by

Na Nova Zelândia está em curso uma campanha contra os gatos domésticos. Seu autor é o homem de negócios e filantropo local Gareth Morgan. A iniciativa tem tanto partidários como adversários, mas as vozes destes últimos, a julgar pela reação violenta da opinião pública, são mais fortes.

Por Voz da Rússia

Na Nova Zelândia há muito mais amantes de gatos do que em outros países desenvolvidos – 48% das famílias têm pelo menos um gato em casa.

Explicando a necessidade de sua campanha, Gareth Morgan cita uma série de números. Por causa desses felinos domésticos podem desaparecer 33 espécies de aves raras locais, inclusive o kiwi terrestre – o símbolo da Nova Zelândia.

Estão ameaçadas também outras espécies raras – diz o autor da iniciativa. Por exemplo, os morcegos de asas curtas, animais que um gato pode caçar mais de 100 em uma semana. Os gatos continuam sendo assassinos natos, mesmo se forem bem alimentados – escreve Morgan em seu site "Cats to Go". Ao mesmo tempo, o homem de negócios é contra medidas radicais como matar. Ele propõe esterilizar os gatos, não os deixar sair de casa e, depois de sua morte, não adotar novos. Como resultado o número de rapinantes domésticos deverá se reduzir gradualmente.

O biólogo e apresentador de televisão Ivan Zatevakhin comentou para a Voz da Rússia a iniciativa do homem de negócios neozelandês:
"Os gatos, como também as ratazanas (porém em menor grau) foram a causa do desaparecimento de muitas espécies raras. É realmente um flagelo de muitas ilhas. Os neozelandeses aceitarão sua iniciativa? Não sei. Mas o governo pode obrigar os proprietários de gatos a cuidar para que eles não comam as aves".

A medida proposta por Gareth Morgan é uma tentativa de lutar não com as causas, mas com a consequência. Os zoólogos dizem a uma só voz: aquando da descoberta da Nova Zelândia não deviam ter levado para lá animais de outros continentes, muito menos felinos, que originalmente não existiam lá. Aliás, foi justamente devido à sua ausência na ilha é que surgiram espécies de aves e morcegos não voadores. Mas os imigrantes, que levaram gatos consigo não pensaram na preservação dessas espécies. Agora estas medidas são já tardias.

A atual iniciativa de Gareth Morgan lembra as campanhas anteriores de combate a animais considerados "nocivos" realizadas na China e URSS. No final dos anos 1950 a direção chinesa declarou guerra aos pardais, acusando-os de ser uma praga que destruía as plantações. Na União Soviética no final dos anos de 1940 os lobos eram mortos a tiro sob o pretexto de que eles exterminavam os animais domésticos. Mas as referidas campanhas de combate a animais "nocivos" e a atual na Nova Zelândia são diferentes – esclarece o zoólogo Anton Evseiev.

"Os pardais na China e os lobos na Rússia são espécies locais, inseridas nos ecossistemas locais. Tal ligação formou-se durante centenas de milhares de anos. Por isso, neste caso o extermínio em massa trouxe danos aos ecossistemas. Os gatos na Nova Zelândia são um elemento estranho, uma espécie invasora".

Na opinião dos especialistas, por mais que Gareth Morgan e seus seguidores se esforcem, é pouco provável que consigam resolver o "problema dos gatos". As pessoas, em sua maioria, são indiferentes aos problemas fora de sua casa, incluindo os problemas de preservação de espécies raras de animais e aves. Por este ou qualquer outro motivo, a iniciativa "anti-gatos" por enquanto não goza de popularidade entre os neozelandeses – esta é apoiada por apenas 24% da população. Mas isto não é o principal – dizem os cientistas – o principal é atrair a atenção para o problema.(Fonte: Voz da Rússia)

0 comentários:

Faça parte do Jornal Defesa dos Animais

Ajude-nos a melhorar ainda mais preenchendo este formulário

Entrevistas

Os animais são inocentes

Frases do dia

Ocioso

Conheça nossa página de vídeos

Resumo da Declaração Universal dos Direitos dos Animais

A Declaração Universal dos Direitos dos Animais da ONU

01 - Todos os animais têm o mesmo direito à vida.

02 - Todos os animais têm direito ao respeito e à proteção do homem.

03 - Nenhum animal deve ser maltratado.

04 - Todos os animais selvagens têm o direito de viver livres no seu habitat.

05 - O animal que o homem escolher para companheiro não deve ser nunca ser abandonado.

06 - Nenhum animal deve ser usado em experiências que lhe causem dor.

07 - Todo ato que põe em risco a vida de um animal é um crime contra a vida.

08 - A poluição e a destruição do meio ambiente são considerados crimes contra o animais.

09 - Os diretos dos animais devem ser defendidos por lei.

10 - O homem deve ser educado desde a infância para observar, respeitar e compreender